EP 'Ash vs Evil Dead' Craig DiGregorio sobre os planos para a 2ª temporada e a influência de Sam Raimi

O produtor executivo também falou sobre o que vai acontecer com Kelly e Pablo na nova temporada, e o arco da personagem de Lucy Lawless durante uma palestra no Wondercon 2016.

Já um punhado de episódios nas filmagens da 2ª temporada, Ash vs. Evil Dead produtor executivo Craig DiGregorio fez uma aparição na WonderCon como parte de um painel de showrunner, mas depois sentou-se com Collider para conversar sobre como as coisas estão indo na série de comédia de terror Starz. Depois de cavalgar para Jacksonville com Pablo ( Ray Santiago ) e Kelly ( Dana DeLorenzo ), Cinzas ( Bruce Campbell ) está aproveitando a aposentadoria de matar Deadites enquanto Ruby ( Lucy Lawless ) tem que lidar com seu plano que não está indo de acordo com suas expectativas.



Durante a entrevista exclusiva, Craig DiGregorio falou sobre como a 1ª temporada afetou sua abordagem para a 2ª temporada, querendo 2% de crescimento de personagem para Ash, o plano para a nova temporada, a adição de novos personagens, entrando no passado de Ash antes de ler o livro , usando ainda mais sangue nesta temporada, a jornada de Pablo e Kelly, as motivações de Ruby, como é ser um showrunner e a influência contínua de Sam Raimi na história. Esteja ciente de que existem spoilers.



Collider: O que você aprendeu com a 1ª temporada que está afetando a maneira como você se aproxima da 2ª temporada?




Imagem via Starz

CRAIG DiGREGORIO: Começamos em meados de fevereiro do ano passado, e estávamos finalizados e editados em julho. Foi rápido. Acho que aprendemos que poderíamos ganhar um pouco mais de tempo, o que seria ótimo. Então, conseguimos um pouco mais de tempo com a pré-produção, o que é muito útil, especialmente com um show que é tão intensivo com efeitos práticos. Isso dá a você esse tempo de espera. Eles precisam saber o que estão construindo e quais são as acrobacias que estamos fazendo. Essa foi uma das coisas que aprendemos. Conforme você passa pela primeira temporada de um show, você aprende os pontos fortes do ator. Você começa o processo escrevendo como acha que as pessoas vão falar, e termina o processo com seus maneirismos e sua voz influenciando como você escreve para eles. Isso é verdade para todos os personagens. Também é muito mais fácil porque as pessoas agora conhecem o tom do show.

Um dos desafios únicos, porque não era um programa que tivesse um piloto real filmado antes de sermos escolhidos para a série, foi explicar e tentar mostrar a todos qual seria o tom exato desse programa sem que eles pudessem vê-lo ainda. É um tom muito estranho para um show. Não é um show de terror puro, de forma alguma. Não é uma comédia direta, de forma alguma. Não é nenhuma dessas coisas. Então, para nós, mais do que muitos shows, ver o show realmente nos ajudou a produzir mais desse tipo de show. Como os filmes são totalmente diferentes, as pessoas têm certas partes que acham que a série deveria ser, e tentamos escolher as melhores partes do que todos amam em todos esses filmes e colocá-las em uma série.



Você deixou as coisas em um lugar muito interessante, com Ash, Pablo e Kelly dirigindo para Jacksonville. Parecia que a segunda temporada estava aberta, até onde você poderia ir em seguida, ou você já tinha uma estrutura pronta?

Imagem via Starz

DiGREGORIO: Tínhamos uma estrutura que queríamos para a segunda temporada. Acho que a coisa mais interessante sobre o negócio de Jacksonville, para mim, foi que mostrou o quão longe esse cara iria, não apenas para si mesmo, mas para outras pessoas. Esse era o crescimento de personagem de 2% que eu queria para ele, na temporada. Definitivamente tínhamos uma coisa que queríamos fazer, em relação a Ruby, onde Ash fazer aquele acordo precisava acontecer, para que pudéssemos manipular a história de tal forma que pudéssemos promover o enredo que queríamos fazer.

O que você pode dizer sobre o plano para a 2ª temporada?

DiGREGORIO: Para mim, a primeira temporada foi duas coisas - aprender o que aconteceu com esse personagem que você não viu por 30 anos, desde o tempo entre a cabana e os dias atuais, e também perceber que ele não está muito isolado para fazer um relacionamento com Pablo e Kelly. Então, a primeira temporada foi sobre aprender sobre ele nesse ínterim 30 anos. A 2ª temporada foca em Ash indo para casa e voltando para sua cidade natal. Nesse sentido, você está aprendendo sobre o outro lado, que ainda não viu. Nesta temporada, acho que você aprenderá mais sobre como era a vida dele antes de ir para a cabana. Como foi sua vida? Quem eram as pessoas com quem ele andava na escola? Talvez veremos membros de sua família. Lee Majors está interpretando seu pai no show. Eu vi jornais diários de Lee, e ele é tão bom. Ele é o tipo de pessoa em que escrevemos o papel com uma voz específica em mente, e ele veio, acertou em cheio e se saiu melhor. Então, nosso plano para a 2ª temporada é descobrir mais sobre Ash e seu passado distinto, antes de ler o livro. Quem era ele e do que realmente estava fugindo? O Delta também será um grande personagem, nesta temporada.


Há certas perguntas importantes de fãs que me perguntam, que acho que pelo menos teremos pensado em fazer. Não vou dizer que estamos ou não fazendo algo, mas recebo muitas perguntas, e se você listasse as cinco maiores perguntas, há algumas que definitivamente examinamos muito. Parece que, na primeira temporada, embora definitivamente tenhamos marcado muito sobre o que foram aqueles 30 anos, quando você pegou Ash no início do piloto, você podia ver o que ele era. Havia muito que poderíamos fazer para expandir quem ele era. Mas para esta temporada, em particular, estamos realmente definindo o que esse cara era. Sam [Raimi], eu e Bruce [Campbell] estamos realmente definindo quem era esse cara e estamos construindo a mitologia de sua vida. Pegar um de seus heróis favoritos de infância, entre aspas e com um ponto de interrogação, e realmente concretizá-lo e ver quem ele era é muito legal.

Quanto mais você pensou além da 2ª temporada?

DiGREGORIO: Você sempre tem que pensar no futuro. Eu nunca penso, quantas temporadas isso poderia durar? Mas eu definitivamente penso no que estamos fazendo agora e como isso manipula o que faríamos no futuro.

revisão da edição final do batman x superman

Quando você usa tanto sangue na primeira temporada, como você supera isso na segunda temporada?

DiGREGORIO: Você acabou de usar mais. Essa é a única maneira de superar isso. É uma loucura, e o sangue está no topo. Para mim, é divertido. Sempre que fazemos o sangramento exagerado, minha intenção não é ser horrível. Eu não quero que isso seja uma tortura do tipo porny. Isso simplesmente não é tão interessante para mim. É sempre sobre encontrar a coisa assustadora e, em seguida, virar um pouco de cabeça para baixo.

Como é trazer Ted Raimi nesta temporada também?

Imagem via Starz

DiGREGORIO: Apenas senti como se estivesse fazendo algo natural. Ele sempre esteve no universo, e tivemos uma grande parte por ele. Ele e Bruce são bons amigos na vida real e também são ótimos na tela juntos, então trazê-lo para o papel que tínhamos para ele parecia natural.

Onde Pablo e Kelly estão indo na segunda temporada? Agora que eles estão mais cientes do que está acontecendo, isso mudará a dinâmica entre eles e Ash?

DiGREGORIO: O problema com qualquer show de terror ou filme de terror é que, uma vez que seus leads saibam o que está acontecendo, você nunca mais terá aquela reação genuína de medo porque eles estiveram lá e fizeram isso, e seja lá o que o monstro seja, pode matá-lo. Estou falando em termos gerais. Então, é por isso que você precisa continuar trazendo novas pessoas que podem ver pela primeira vez, para manter esse medo geral acontecendo. No que diz respeito a onde Kelly e Pablo vão, os dois têm uma temporada interessante. Kelly está aprendendo, cada vez mais, o quão idiotas são as ideias e as maravilhas de Ash, seguir esse cara é o que ela realmente deveria estar fazendo? E Pablo tem uma temporada realmente difícil pela frente. Ele vai passar por mais algumas coisas. É sempre divertido ter um personagem que joga tão bem, e ele sempre está disposto a isso também. Ele é tão bondoso que você quase tem que continuar empilhando porque é muito melhor, mais assustador e engraçado quando você faz isso com o personagem que não deveria ter acontecido com eles e não merece, mas apenas continua conseguindo.

Passamos uma temporada inteira sem saber muito sobre Ruby, e então descobrimos que ela é a Escuridão. Agora que sabemos qual é o problema dela, isso muda o que você pode fazer com o personagem?

DiGREGORIO: Isso abre um pouco mais. O que ela está tentando fazer, mesmo que ela esteja tentando fazer isso por muito tempo, é um pouco ingênuo, o que é interessante para um personagem que parece ter suas coisas sob controle. E o que ela está tentando fazer pode facilmente sair pela culatra para ela. O mal não parece algo que você deva controlar, mas ela estava sendo genuína sobre isso. Ela não estava apenas dizendo isso, para que pudesse deixar tudo correr bem ou mal. Na verdade, ela estava tentando ser como o padrinho no que fazia. Essa foi a parte interessante para mim. Eu não acho que seja uma coisa ruim, mas geralmente você pega o bandido que quer criar o inferno na terra, especialmente se for um demônio. Essa é uma maneira muito fácil de lidar com as coisas e eu acho que é uma ferramenta muito útil de se ter, quando você quer uma abreviatura de quem é o bandido. É uma prova do quanto nos preocupamos com aquele personagem que queríamos que suas motivações fossem um pouco diferentes. E também nos permite levar nossa história na direção que queríamos levar para a segunda temporada.


Como o showrunner de uma série de TV, você é responsável por tudo e todos e, em última análise, é você quem recebe o crédito ou a culpa pelo produto acabado. O que você mais gosta em ter tanta responsabilidade, e o que mais teme em ter tanta responsabilidade?

DiGREGORIO: Acho que deixei cair de mim de qualquer maneira. Eu provavelmente sou mais tranquilo do que deveria ser sobre qualquer um dos lados, mas em um certo ponto, está fora de suas mãos. Sim, tenho muito a ver com o resultado deste programa, mas, uma vez que estiver lá, simplesmente não posso me preocupar. Espero que meu barômetro para o que as pessoas querem ver, como quero contar essas histórias e como quero que seja engraçado e assustador combine bem com o que as pessoas realmente querem ver, e parecia que sim na primeira temporada. A certa altura, se você se preocupar com isso depois de liberar o produto, ele consumirá tudo. Eu não entro online e vejo se as pessoas gostam ou odeiam. Eu não leio muitos comentários sobre isso. Quero saber se as pessoas gostam ou não gostam e por quais motivos. Às vezes, a crítica é muito válida. Quando há tantas vozes, acho que você precisa dar um passo para trás e ver como isso funciona para você. Certamente, sempre tenho os fãs em mente ao fazer o show, e acho que isso é importante. Mesmo que eu não consiga fazer o programa que eles amam, pelo menos eu o fiz pelos motivos certos. Eu entrei sabendo que tentaria fazer com que os fãs fossem o melhor show possível que eu pudesse, mas no final do dia, quer eles amem ou não ou amem o tom que fizemos, eu não posso controlar isso, para não enlouquecer tentando fazer as pessoas amá-lo. Eles vão adorar, se gostarem, e não vão, se não gostarem.

O que você lembra do seu primeiro dia no set, como showrunner?

Imagem via Starz

DiGREGORIO: Já estive em muitos shows e tenho muito tempo para gastar nos sets, em salas de leitura e edição, mas para falar pela primeira vez no set, neste show, foi interessante porque meu A primeira visita ao set foi no meu primeiro dia de filmagem, e Sam estava dirigindo o episódio. Foi como entrar em uma velha amizade, o que foi ótimo. Foi muito bom, a esse respeito. E Sam não tem sido nada além de útil e apoiador com as idéias que queremos fazer. Ele tem sido maravilhoso, desde o primeiro dia. Com certeza ele vai dar voz à sua opinião, se achar que as coisas estão indo em uma direção diferente, mas ele também confia muito em nós. Porque fizemos a primeira temporada com ele por perto, ele entende que eu definitivamente tenho uma voz que pode contar essa história de uma maneira que ele parece gostar. Não vou dizer que tenho a voz do show, mas definitivamente tenho algum tipo de voz que pode promover essas histórias e escrever para esses personagens.

Ele expressou sua opinião muito?

DiGREGORIO: Ele definitivamente expressou sua opinião. Se ele pensasse que algo estava acontecendo, eu não acho que eu estaria aqui agora. Não que eu fosse demitido, mas teria muito mais trabalho a fazer, neste exato minuto, se isso estivesse acontecendo. Ele tem sido ótimo, ao apresentar a ele a grande ideia da temporada, e ele está sempre por perto e irá surpreendê-lo com algo que ele diz. Ele tem sido muito prestativo e é um cara maravilhoso de se conviver.

Ash vs. Evil Dead retornará ao Starz para a segunda temporada em setembro.

qual é o labirinto em westworld


Imagem via Starz

Imagem via Starz

Imagem via Starz