Exclusivo: Pete Holmes vai fundo em ‘Crashing’s Cancelamento, That Finale e um filme em potencial

Telefonei para Holmes 45 minutos depois do cancelamento do show. O resultado é um bate-papo refrescantemente sincero e otimista.

45 minutos antes da data marcada para a entrevista Pete Holmes sobre o final da 3ª temporada de sua série da HBO Quebrando , a notícia de que o show foi cancelado. A HBO não traria a charmosa comédia de meia hora de volta para uma quarta temporada. Isso foi inesperado, para dizer o mínimo, e admito que me deixou confuso. Eu estava preparado e pronto para mergulhar naquele excelente episódio final e John Mulaney Do envolvimento de Holmes, e como Holmes e sua equipe criaram a melhor temporada do programa até agora, e agora eu estava sentado aqui me perguntando em que tipo de humor Holmes estaria, ou se a entrevista ainda iria acontecer.



Sim, e acabou sendo uma das entrevistas mais envolventes e inspiradoras que tive o prazer de conduzir - dadas as circunstâncias, é claro. Obviamente, Holmes e eu teríamos preferido ver o show continuar (ele revela que já havia traçado um esboço da 4ª temporada), mas o comediante, escritor, apresentador de podcast e criador do show foi revigorantemente positivo sobre a coisa toda, não expressando nada mas gratidão pelas três temporadas do show ele teve que contar.



Claro que ajuda que o final da 3ª temporada termine em uma nota de “finale” que realmente funciona magnificamente como um final da série - tanto que no set de filmagens do episódio, Holmes diz que eles continuaram se referindo acidentalmente a ele como a “série final.' A história de Pete dá uma volta completa e ele consegue uma 'vitória tripla', como Holmes a chama, terminando com uma tacada final digna de um desmaio. É triste ver um show tão agradável, alegre e surpreendentemente catártico chegar ao fim cedo demais - Quebrando era muito mais do que apenas as desventuras de um comediante stand-up em ascensão, e Holmes e os escritores do programa sempre tiveram um talento especial para explorar verdades universais sobre a vida, o amor e a felicidade. Mas se o show teve para terminar abruptamente, você não pode fazer muito melhor do que o episódio final da 3ª temporada.

Imagem via HBO



Então, sim, a entrevista aconteceu, e o que estava originalmente programado como um bate-papo de 15 minutos sobre o final de repente se tornou uma entrevista de saída de 40 minutos sobre toda a série. Sou imensamente grato a Holmes por ser tão aberto e disposto a ser franco sobre o cancelamento do programa e seus sentimentos sobre a série como um todo, e acho que a entrevista completa servirá como um pequeno consolo para os fãs que ainda estão chateados com o cancelamento do show.

Durante nossa discussão, Holmes falou sobre os planos da 4ª temporada que eles já haviam delineado, por que a natureza surpresa do final da série do episódio final é adequada, o potencial para a história continuar em um Quebrando forma de filme, e o que ele gostaria de dizer aos fãs sobre o show agora que tudo acabou. Também exploramos o episódio final especificamente, incluindo o envolvimento de Mulaney e começando a brincar com o Comeback Kid a personalidade do comediante, e tocamos na elaboração da terceira temporada como um todo - incluindo por que a inclusão de Kat foi tão pessoal para Holmes. Nós também, é claro, conversamos sobre aquela cena final e o que Holmes prevê como futuro para Pete e Ali.

Mais uma vez, gostaria de expressar minha gratidão a Holmes por ser tão aberto e até mesmo disposto a falar apenas alguns minutos após o cancelamento se tornar público, e como um fã do show e da comédia de Holmes, espero vê-lo de volta na frente de a câmera em breve. Confira a entrevista completa abaixo, que contém spoilers para o episódio final da série, “Mulaney”.



Como um grande fã da série, devo dizer que não estou louco pelo fato de você não ter sido escolhido para a 4ª temporada.

PETE HOLMES: E se eu não soubesse? E se você acabou de me dizer? (Risos)

Felizmente, eu vi seus tweets de antemão!

HOLMES: Não, eu agradeço e estou feliz em falar com você na primeira entrevista sobre isso.

Por três temporadas, tem sido esse tipo de programa especial que parece, não sei se nicho é a palavra certa, mas um programa que tem sido muito amado, e foi legal ver a demonstração de apoio que vi no Twitter até agora, de todas as pessoas chateadas com o cancelamento.

Imagem via HBO

HOLMES: Sim, não acho que nicho seja um palavrão. Eu acho que quando você está fazendo um programa sobre algo que já é um nicho, se você o faz bem, então o programa em si provavelmente deve ser um nicho. Se não for inteiramente de nicho.

Isso é justo. Então, vocês já têm alguns planos em mente para a 4ª temporada?

HOLMES: Sim. A forma como funciona, por todas as três temporadas, é antes de você conseguir uma pickup, há um bizarro Espelho preto Período parecido com o do qual você está escrevendo um programa que não sabe se existirá. Obviamente, acho que é mais estranho talvez entre a primeira e a segunda temporada. Conforme você avança, você se acostuma um pouco mais com a ideia de que, 'Oh, estamos apenas tentando nos adiantar'. Muitas dessas ideias podem não ir ao ar, mas é sempre o estilo do [produtor] Judd [Apatow] e o estilo da HBO, graciosamente, para nos financiar um pouco antes da pickup.

Então, tínhamos a temporada bem delineada, mas não estou dizendo apenas para ser - na verdade, gostaria de ser claro. Não estou dizendo nada do que direi durante a entrevista para ser apenas o cara positivo. Acho que as pessoas talvez esperem que eu seja. Mas eu realmente sinto que há algo adorável na maneira como isso termina. Porque a quarta temporada pode ter lidado com alguns intervalos ou diferentes marcos do showbiz que, francamente, não acontecem com a maioria das pessoas que estão na comédia. O show terminando onde está terminando é um pouco mais fiel ao tema, no sentido de que o show sempre foi sobre como é ser um comediante regular e lutar. É por isso que foi chamado Quebrando , e como já brinquei muitas vezes, não foi chamado Florescente .

Portanto, há algo que se encaixa em como isso termina. Pense em onde ele estava na primeira temporada. Ele estava morando no interior do estado, não estava conectado ao seu potencial, certamente não fazia parte da cena e não era muito engraçado. No final da terceira temporada, ele está mais engraçado, ele encontrou melhores relacionamentos, melhores amizades, ele se descobriu. Mas ele também se tornou parte da cena, e é isso que representa passar pelo Cellar.

Sem soar muito altivo, sempre gosto daqueles finais que fazem as pessoas falarem, que ficam quentes na imaginação do espectador. Com o show terminando aqui, um dos meus primeiros pensamentos foi, 'Oh, agora as pessoas vão falar sobre,' O que você acha que acontece? '' Francamente, 'O que você acha que vai acontecer?' é como a maioria dos comediantes se sente pela maior parte de nossas vidas. Quer dizer, é sempre tipo, vamos continuar sendo engraçados, vamos continuar fazendo o máximo de shows que pudermos, mas nunca sabemos o que vai acontecer. Isso torna o final um pouco mais ativo do que, digamos, levar Pete para a próxima fase de Hollywood, que sempre foi interessante e era algo que eu queria fazer, ou estava aberto a fazer, certamente. Há algo sobre esse final que parece estranho em quão apropriado é para o show que estávamos fazendo.

Eu tenho que ser honesto. Terminei o episódio final e fui ao Google para ter certeza de que não perdi nada. Eu fiquei tipo, 'Eles anunciaram que estavam fazendo apenas três temporadas?' Porque parece um final. Parece um bom momento doce. Estou tão feliz que termine assim, com uma vitória do Pete, porque amo muito esse personagem. Teria sido uma chatice se esta temporada terminasse com uma nota negativa.

Imagem via HBO

Alguém morre na guerra do infinito

HOLMES: Oh, eu realmente agradeço. Quer dizer, é uma vitória tripla. Quer dizer, ele vai atrás de Mulaney. Muitas vezes em Quebrando , fazemos as coisas dos dois modos. Nós atiraríamos em talvez eu indo bem, e eu indo mal. Digamos que o script disse que eu me saio mal. Podemos filmar um take onde vai bem, apenas para ter a opção quando estamos editando, apenas no caso de querermos misturá-lo ou algo assim. Sempre foi planejado que Pete sobe e se sai bem depois de Mulaney.

Aquele conjunto que eu faço lá é algo que Judd e eu superamos. Parece muito solto, mas era bem roteirizado, talvez não as piadas, mas as áreas que eu ia abordar eram muito roteirizadas e então eu as revelei. Judd me deu essas batidas, mas não era como, 'Vamos também atirar nele fazendo xixi nas calças', apenas para ter isso. Nós nem mesmo consideramos isso. Nós éramos tipo, 'Ele vai atrás de Mulaney. A mesa está posta para que seja um desastre, e então ele se sai muito bem. ' Então, Mulaney, que estabelecemos em duas temporadas agora, só é cruel com Pete, então se vira contra ele. É um fenômeno real no mundo dos comediantes, quando você vê alguém ser engraçado, especialmente descaradamente ou corajosamente engraçado, do jeito que Pete é, meio que zoando o John, isso pode fazer uma amizade. E então ele vence no Cellar, obviamente. Que, durante toda a temporada, foi uma das temporadas mais orquestradas que já fizemos. O que significa que o controlamos com um fracasso e, em seguida, espelhando esse fracasso com um sucesso, e então, obviamente, o que acontece com ele nos últimos frames. É algo que normalmente não fazemos.

Não sei se você viu meu tweet, mas quando estávamos filmando, o diretor é Gillian Robespierre, e continuamos chamando-o acidentalmente de final da série. Quero dizer, mais de 10 vezes. Simplesmente continuou acontecendo, e então todos nós pensamos, 'Não, não, não, não é o final da série', mas é exatamente por causa do que você está captando.

Então, quando descobri que não estava voltando, obviamente a primeira coisa que você faz é se perguntar como seu trabalho vai cair. Como vai se sentir nesses últimos momentos? Imediatamente, fiquei aliviado por pensar, 'Oh, meu Deus. Sempre pareceu um final de série ', e então eu pensei,' As pessoas vão pensar que voltamos e o reeditamos ', o que, porque você já viu, você sabe que não vimos. Mas quando você assistir, as pessoas vão ficar tipo, 'Oh, isso parece o final.' Quer dizer, pode haver um filme ou algo assim, certamente estamos abertos a isso. Mas se fosse isso, seria apenas como, 'Oh, uau. Muito legal. Obrigado por isso. '

É uma pena que não vai voltar, mas sou fã da série desde o primeiro dia e senti que esta foi a sua temporada mais forte até agora. Adorei a apresentação de Kat. Mesmo apenas a estrutura da temporada, pensei, funcionou perfeitamente. Então, se você tiver que sair inesperadamente, fico feliz que tenha acontecido assim.

Imagem via HBO

HOLMES: Sabe, você está apenas refletindo meus próprios sentimentos. Quando você está em pé - Kumail Najiani e eu começamos juntos, e íamos fazer shows em pé e, às vezes, esses shows eram cancelados. Chegaríamos lá e não haveria audiência. Quando você está começando na comédia, uma das coisas que Quebrando é que você finge que adora ficar em pé, embora ainda não goste, porque não é bom nisso. Lembro-me de estar fora de um clube, Kumail estava fumando - há 10 anos, ele fumava, o que é muito engraçado porque ele está muito em forma agora. Mas ele estava fumando fora do clube e eu pensei, 'Eu me sinto culpado por admitir isso para você', porque especialmente os novos comediantes simplesmente nunca querem mostrar fraqueza, mas eu estava tipo, 'Estou um pouco aliviado que o show de standup é cancelado.' Kumail estava tipo, 'Sim. Agora não pode correr mal. ' Eu estava tipo, 'Oh, é isso! Você tem razão.'

Portanto, há uma espécie de sensação de que na terceira temporada, nós alcançamos um grande avanço. Obviamente, a adição de Madeline Wise, que foi algo em que me senti muito próxima daquela personagem, e me senti muito presa em escrever aquela personagem com a sala e com Judd e todos. Para sair nesta temporada, onde eu estava recebendo a maioria dos telefonemas e mensagens de texto, e encontrando pessoas que eu admiro, e fazendo-as dizer que amavam o show, eu estava tipo, 'É assim que você se torna um culto clássico.'

eu penso em União , por exemplo, que foi outro programa da HBO de curta duração. Eu amo esse show, e há um sentimento especial de calor e aconchego que você tem quando há um show que tem uma vida útil como esta, que você encontrou e que apreciou.

Definitivamente. Bem, esta temporada encontrou Pete usando muitos chapéus diferentes, literal e figurativamente.

HOLMES: (risos) Sim!

Ele está tentando descobrir onde ele se encaixa. Então ele tenta os passeios da faculdade, ele tenta o ângulo religioso, e ele diz, 'Talvez seja isso que eu deveria estar fazendo,' e eu amo que termine com, ' Não. Comédia stand-up no Cellar, esta é a minha vocação, é para isso que estou destinada, é para isso que sou bom. Como vocês elaboraram aquele arco específico para a temporada?

HOLMES: Bem, eu acho que Pete é certamente um personagem complicado - a minha versão na série, assim como eu, é complicada. Mas uma das coisas que gostei de saber em seu íntimo era que ele só queria ser aceito pela cena. Ele só queria ter uma plataforma para fazer o que ele realmente gostava de fazer. Você verá isso em filmes e programas de TV. Muitas vezes, personagens de que gostamos, uma nota clichê da rede é: 'Eles podem ser bons no que fazem?' O que realmente significa apenas: 'Eles podem ter um propósito e podem ser eficazes e obstinados em sua busca por esse propósito?'

Imagem via HBO

Então, Pete está realmente jogando um jogo sobre o que é esperado dele e o que você quer. Que, aliás, é o tema do meu programa favorito de todos os tempos, que é Homens loucos . O sentimento do que é esperado de você versus o que você realmente deseja. Eles dizem isso muitas e muitas vezes, e Pete também está descobrindo isso. É como se eu fosse o cara do aquecimento entusiasmado que pode fazer faculdades e dar às pessoas o que elas querem? Posso fazer o mercado religioso, lucrar com essa educação única, e essa experiência, e essa visão de mundo?

Eu adoro quando ele diz a Fudge - Fudge é o comediante no final da turnê cristã - ele apenas diz: 'Eu pertenço aos campos, falando sobre burros. ” Ele está dizendo que descobriu que mesmo tendo alguma dissonância cognitiva, ele pode não estar completamente em paz com quem ele realmente é. Ele está dizendo: 'Meu trabalho é descobrir quem é, e eu preciso estar em um lugar onde eu possa expressar minha feiúra, ou minha dúvida, ou meu egoísmo, ou meu narcisismo, ou meu tesão, ou meu egoísmo, seja ele qual for, 'e o mercado cristão não era para ele, e o mercado universitário não era para ele. E então, no final do dia, e esta é uma das coisas que torna os comediantes interessantes, eu acho, seu lugar feliz é um porão muito pequeno, descentrado e desequilibrado. É um porão onde há pessoas apontadas em sua direção e um microfone e luzes, e poder fazer esse trabalho é o seu lugar feliz.

Há algo que foi cortado da terceira temporada, que foi filmado Pete e Kat indo no metrô, e ela o fazendo perder o trem porque ela não conseguia encontrar seu cartão do metrô, e todas essas coisas diferentes. Tivemos de reduzir o tempo, o que é lamentável. Porque isso era algo que eu realmente queria mostrar, que ele estava meio que exorcizando sua raiva. Ele fez uma piada sobre algo que era frustrante para ele, e algo que é meio feio. Feio em sentido amplo. Feio, ou seja, 'não é educado pensar que sua namorada é irritante e te atrapalha', certo? Em seguida, ele chega ao Cellar desabafando essa honestidade, e essa é uma vitória que não é como o que poderíamos ter feito na quarta temporada, como um grande mundo do showbusiness. É uma vitória emocional transformadora interna, e também uma vitória do showbusiness, poder jogar no maior clube do país.

Você e Judd mencionaram um potencial Quebrando filme. Isso seria segui-lo, então, nas ideias que você planejou para a quarta temporada, dele meio que crescendo no showbiz?

HOLMES: Você sabe, eu não falei explicitamente com Judd ou nosso showrunner, Judah [Miller], ou nosso produtor, Oren [Brimer], ou qualquer um dos escritores sobre isso ainda. Minha sensação seria, se fizéssemos um filme, não sei se seria necessariamente uma versão de uma hora ou 90 minutos da quarta temporada. Meu sentimento seria, porque ele se encerra de forma tão limpa, teria que ser quase como um autônomo. Como o que eles fizeram com Ola senhoras . Teria que ser autônomo. Uma ideia que me ilumina mais seria: 'Bem, o que você não esperaria? Não apenas uma versão do Reader's Digest da quarta temporada, mas que oportunidades existem para contar uma história com os personagens que eu amo e que o público gostou? Como podemos contar uma história única? '

Então, eu olharia para ele - e sou apenas eu hoje. Isso pode mudar amanhã, mas eu olharia para isso e diria: 'Existe uma história estranha que podemos usar, construindo a partir dos personagens que estabelecemos, em vez de ouvir um podcast na velocidade 1.5 e tentar apressar através da nossa ideia para a quarta temporada? ' Eu acho que seria mais, tipo, apenas falar com você hoje seria como: 'Oh, Pete e Lief vão fazer uma viagem para Los Angeles, ”ou algo assim. Não sei, mas seria algo mais parecido. Ou, pelo menos, é o que faria por mim.

Imagem via HBO

Mas, uma pequena amostra do nosso processo, essa não é a palavra final. Este show foi muito Judd e meu show, e os escritores e produtores. Foi muito, muito colaborativo, e não houve, 'Pete diz que vamos fazer isso.' Eu arremessava as coisas para Judd, e ele as refinava e ajustava, e amorosamente mudava, e essa é uma das razões pelas quais a série tinha tanto sucesso. Se fosse só eu, quero dizer, teria havido muito mais masturbação (risos).

Ouça, estou bem com isso. Essas piadas são engraçadas.

HOLMES: Sim, qualquer coisa que seja estranha ou tipo, 'Uh-oh,' eu simplesmente gravito em torno disso. Judd me afastaria de duas coisas: qualquer coisa que fosse abertamente um pouco indulgente demais. Tipo, literalmente indulgente, como muitas cenas de punheta. Ou ele também era muito bom quase como aparar uma árvore bonsai. Ele cortaria a qualquer momento que eu me irritasse falando sobre filosofia, espiritualidade ou zen-budismo. Eu sempre fazia Lief citar Alan Watts por 10 minutos, e Judd sempre dizia, 'Eu agradeço isso. Eu gosto disso, mas este é um show de comédia e dura apenas meia hora, então vamos continuar. ' O que, honestamente, e não estou dizendo isso apenas para lançar o livro, é por isso que escrevi um livro. Deus do sexo comédia sai em maio, e isso é o que acontece quando sou apenas eu sozinho, e você verá que aquele livro está repleto de masturbação e repleto de Alan Watts.

Bem, você me vendeu. Mal posso esperar para ler. Eu queria perguntar sobre Mulaney. Número um, ele é um idiota? E número dois, como você faz para criar essa persona na tela? Porque é tão bom. Acho que esse final pode ser um de seus melhores episódios.

HOLMES: Eu concordo totalmente, e é engraçado com pessoas como Mulaney e literalmente quase todas as participações especiais que temos, escolha qualquer participação especial. Whitney Cummings, Sarah Silverman, Bill [Burr], qualquer um. Eles eram a personificação do espírito de Quebrando , ou seja, nenhuma dessas pessoas precisava estar no nosso programa, sabe o que quero dizer? Sarah Silverman não precisa estar em nosso programa, e Mulaney não precisa estar em nosso programa. Mas a ideia de Quebrando é que os amigos do comediante ajudam uns aos outros. Às vezes, os comediantes chamam besteira sobre isso, e eu fico tipo, 'Bem, se essa não é a sua experiência, você está saindo com as pessoas erradas. Misture seu grupo, certo? '

Por mais que queiramos fazer isso sozinhos, você não pode fazer isso sozinho. Então Mulaney obviamente não é um idiota. Ele é um amor incrível, mas como alguém que também é - é meio estranho falar sobre você, mas sou visto como um escritor-comediante brilhante e positivo. Tipo, um comediante mais amigável, um cara mais doce, assim como Mulaney é. Portanto, acho que ele e eu compartilhamos o mesmo fascínio em destruir essas ideias, em vez de nos apoiarmos nelas quando surge a oportunidade.

Quando éramos tipo, 'Queremos escrever, quase como um Meio-fio ... 'Tipo, Larry David, seu personagem em Meio-fio seria ele se dissesse o que realmente estava sentindo, se fosse realmente destemido e simplesmente não se importasse com o que as pessoas pensavam dele. Isso é mais ou menos o que estamos fazendo com Mulaney e, em alguns casos, é o que estamos fazendo com meu personagem, só que menos. É como, 'Ok, todo mundo sabe que ele é um fofo, mas até fofinhos ...' Como eu digo em meu podcast o tempo todo, 'A freira mais gentil e gentil ocasionalmente tem pensamentos estranhos, onde eles são apenas como,' Eu 'odeio judeus' porra, sem motivo. ” Eles simplesmente explodem de manhã quando estão comendo seu waffle. Eles são apenas meio passivos. Essa não é a identidade deles, mas eles ainda têm esses pensamentos. Mas estou sempre interessado em pegar um personagem doce como John, e ele também, e aumentar o volume desses pensamentos e sentimentos que todo mundo tem, que não necessariamente controlam sua identidade ou personalidade. Além disso, é muito engraçado. Quer dizer, Mulaney como um idiota é uma das minhas maiores conquistas.

Imagem via HBO

É brilhante. A coisa toda do 'Mas eles não sabem que eu sou um idiota'.

melhor estação é sempre ensolarado

HOLMES: Sabe de uma coisa? Ele estava mexendo muito nisso. Ele tocou tanto nisso, e eu seria negligente, especialmente porque esta é uma das últimas entrevistas que farei sobre Quebrando , pelo menos diretamente. Rachel Feinstein em 307, ela está remexendo aquelas coisas sobre fantasmas, e Amy Schumer remexeu em todas as suas piadas sobre meu cabelo, assim como Joyelle e Lynn. Todo mundo nessa cena está fazendo riffs.

E Mulaney, impossivelmente - uma das coisas que eu tanto admiro nele, e qualquer pessoa que o conhece sabe que isso é verdade, é que ele fala piadas perfeitamente formadas. Ele é como uma torneira de comédia corrente. Então, quando pensamos, 'Ok, Pete está prestes a abrir para você. Temos essas piadas escritas para você ', e ele as diz também, mas nós também pensamos,' O que você diria? ' Então ele diz: 'Meus pais estão aqui. Você tem que estar sujo, então eu pareço limpo. ' Tenho certeza de que no roteiro dizia algo como, 'Não seja sujo', e ele interpretou isso como, 'Não, seja sujo, para que eu possa ficar limpo'.

O fato de a HBO nos dar um cronograma de produção de filmagens, o que é insano, que permitiu longos dias em que poderíamos fazer várias tomadas e deixar as câmeras rodarem. Quer dizer, no digital, quem se importa? Mas quando você está queimando dinheiro, literalmente, a cada segundo que você está brincando, é necessário um produtor incrível como Igor Srubshchik, que foi incrível em nos dar essa liberdade e, obviamente, Judd foi muito protetor em garantir que nós tinha esse tipo de espaço para brincar. É aí que você tem momentos como Mulaney sendo tão, tão engraçado, e Mulaney na segunda temporada, quando ele está falando sobre, 'Invada meu apartamento e me siga para casa', e todas essas coisas. É 100% riffing. Se você olhar de perto, verá que estou me esforçando muito para não rir.

Eu queria perguntar sobre Kat, porque isso, eu senti, foi uma adição realmente ótima e complexa para a temporada, e o desempenho de Madeline Wise é excelente. O que contribuiu para a criação desse personagem e seu relacionamento com Pete?

HOLMES: Bem, está muito perto do meu coração e da minha experiência real. Fiquei muito chocado ... talvez não chocado, talvez deliciosamente surpreso que inúmeras pessoas, pessoas que eu conheço, pessoas que não conheço, pessoas online, disseram, 'Puta merda. Você apenas, basicamente, pela primeira vez, coloca na tela como é estar em um relacionamento com alguém que pode ter algumas tendências prejudiciais à saúde. Que parece realmente ótima, e é realmente ótima - para ser honesta, ela é ótima - mas tem alguns pontos cegos. ” Então, eu realmente queria mostrar a alguém que realmente pode esquentar ou esfriar, para que ela possa ser tão amorosa e até mais solidária com Pete do que ele mesmo, e colocar a foto dele na lateral de um ônibus. Quer dizer, esse é um momento muito indicativo de quem ela é, que é um pouco instável, um pouco assustador, mas também é muito, muito gentil.

Mas então, eu tinha uma namorada que me dizia surda, e não foi difícil para mim voltar àquele estado de choque. Mas então, o que foi ainda mais surpreendente foi todas as pessoas que estavam tipo, 'Eu namorei uma garota que fez algo muito parecido', e a mágoa que você sente, quando está apaixonado por alguém que acabou de, como Eu digo, um ponto cego. Ou apenas tem um lado mau. Mas se você realmente assistir Madeline, Madeline é uma atriz tão incrível que ela muda sua aparência. Ela mudou sua aparência de alguma forma! Tem aquela cena no Stand Up NY onde nós meio que fazemos nossa entrevista de saída, e ela parece um fantasma. Isso não é maquiagem! Ela estava contorcendo o rosto e seus olhos eram basicamente pretos, tipo, era uma loucura. Ao filmar aquela cena com uma pessoa tão talentosa, não foi difícil para mim tropeçar. Muito disso também foi improvisado. Judd estava lá naquele dia e disse, 'Basta dar a ela um fluxo interminável de besteira. Não diga a ela a verdade. Apenas diga a ela que ela é grande demais para você ', e não foi difícil para mim voltar àquele espaço de estar apaixonado por alguém, mas também de ter muito, muito medo dessa pessoa.

Imagem via HBO

Infelizmente, ou talvez felizmente, eu não sei, infelizmente para eles há muitas pessoas, homens e mulheres, que sabem o que é estar em um relacionamento com alguém onde você está pisando em cascas de ovo e você não Não sei se o que você vai dizer vai deixá-los felizes ou furiosos. Pete é tão ... Não quero dizer que ele é um covarde de um jeito ruim, mas ele não é muito conflituoso, então ele faz o que muitas pessoas em situações como essa fazem, onde ele deixa seu comportamento quebrar com ela, porque ele está com muito medo de fazer isso diretamente.

Devo dizer que a filmagem desta temporada foi ótima, e acho que foi Gillian quem dirigiu o episódio de Seth Meyers e também “Mamãe e Kat”. Estou com um buraco no estômago. Parecia que estava assistindo a um filme de terror, porque eu estava muito preocupada e com medo de Pete, e isso funcionou muito bem. Foi difícil assistir.

HOLMES: Eu aprecio isso, porque era difícil viver coisas assim. Tive uma briga enorme com uma namorada uma vez na garagem da casa dos pais, onde é tipo, você briga e depois tem que entrar e agir de uma maneira completamente diferente. Uma das melhores coisas sobre a arte, a televisão e a comédia é que você pode aproveitar esses momentos que são literalmente os pontos baixos de sua vida, seja um divórcio, seja um bombardeio ou um tóxico relacionamento, ou uma paixão como esta. Você pode pegar essas coisas que realmente machucam no momento e meio que transformá-las em comédia, e isso é muito curativo para mim quando estou fazendo isso. Pode ser muito difícil psicologicamente para mim fazer isso também. No final das contas, é muito curativo, e então você o libera, e então é curativo, potencialmente, para as pessoas que assistem. Porque uma das maiores coisas que almejo ou me esforço para proporcionar é aquele maravilhoso sentimento de solidariedade.

Idealmente, quando você sai de um show meu de comédia standup, ou você assiste a um show que eu fiz, ou qualquer coisa que eu escrevi, espero que as pessoas que o consomem vão rir e se divertir, mas por baixo disso, eu realmente quero que as pessoas se sintam menos sozinhas e simplesmente dirão: 'Oh, não sou o único.' Quantas vezes, quando rimos, isso acontece porque estamos excitados e encantados, mas também porque estamos aliviados, porque o mundo é assustador, assustador e isolador? E você pensa, 'Oh, está acontecendo com milhões de nós. Todos estamos passando por etapas semelhantes e atrapalhando-se com obstáculos semelhantes. ' É uma grande alegria na minha vida.

Bem, eu quero dizer obrigado por ser tão pessoal, porque isso transparece. A descrição de ser criado como um cristão evangélico é uma das mais verdadeiras representações da vida que eu já vi, e as complexidades disso, e eu acho que a especificidade de alguma forma a torna universal. Então, obrigado por fazer isso.

HOLMES: Agradeço isso. Acho realmente fascinante e experimentei isso no meu podcast. Quanto mais específico você for e quanto mais nicho você for, mais as pessoas se relacionarão. Acho que é um dos paradoxos universais mais interessantes que descobri, que é, você faz um show sobre standup em Quebrando , e músicos ou fotógrafos - eu tive pessoas que eram pais solteiros se relacionando com a sensação de lutar para descobrir sua verdade e outras coisas. Nós pensamos que estávamos fazendo um show que era tipo, 'Oh, isso será para os mikers abertos. Isso será para as pessoas que estão pensando em entrar em pé. E será para os evangélicos, ou seja o que for, e então você acaba se relacionando com os mórmons. Você acaba se relacionando com ateus. Você acaba se relacionando com todos esses diferentes tipos de origens. Mas acho fascinante que quanto mais específico você for, mais universais as coisas podem ser.

Imagem via HBO

Isto é. Antes de ir, há algo que você gostaria de dizer aos fãs ou sobre o show, já que tudo está acabando?

HOLMES: Bem, essa é parte da razão pela qual estou feliz em falar com você. Eu estava tipo, 'Vamos colocar tudo isso para fora, e eu posso twittar e compartilhar, e então ter uma boa conversa para representar como estou me sentindo.' O que eu diria é o que temos dito. Quando falei com a HBO sobre o show não voltar, conversei com Casey Bloys, que tem sido incrível o tempo todo. A HBO é tão boa quanto todo mundo sempre disse que é, talvez até melhor do que eu imaginava, e ele disse que era um pouco estranho, ou talvez uma boa surpresa que tudo o que eu estava sentindo era alegria e gratidão. Isso é completamente honesto, porque o processo tem sido tão bom, porque tínhamos espaço para fazer o programa que queríamos fazer, e a liberdade de talentos que a HBO sempre foi famosa por dar.

Então, para os fãs, é como a resposta deles e a forma como eles apoiaram, alcançaram, se relacionaram e interagiram com o show, e me disseram como eles estão se sentindo, se ser uma pessoa ou online ou o que quer que seja. Ou até mesmo falando com você sobre o quanto você gosta, quando falo com a imprensa, tem sido maravilhoso. É um verdadeiro privilégio fazer parte de um desses shows. Eu nem quero dar a ressalva, 'embora esteja terminando', mas você pode dizer, 'Mesmo que esteja terminando, para ser um programa que as pessoas encontraram, com o qual se relacionaram, que eles, em seu fandom, meio que incubado e permitido existir. ' Se eles não assistissem, se eles não gostassem, se eles não falassem sobre isso, se eles não escrevessem sobre isso, não teria continuado. Então, eu realmente me sinto grato a eles. Eu sinto muito pelos fãs que queriam continuar, obviamente, que queriam ver mais.

Conheço muito bem esse sentimento, de me apaixonar por um show. É um relacionamento. É pessoal. Está em sua casa. É no domingo. Especialmente um programa que vai ao ar semana após semana, torna-se uma rotina. Você fica tipo, 'Oh, há um novo Quebrando , vamos assistir ', e há uma intimidade aí. Então, fico triste quando penso em quebrar essa linha de comunicação com eles, e às vezes posso me sentir triste pensando nos grandes atores e escritores que, tipo, são basicamente minha família de trabalho, as pessoas que filmaram, as pessoas que editaram. .

Quer dizer, eu ficava no set 14 horas todos os dias, com edição de 10 horas todos os dias, fosse o que fosse. Eles se tornaram verdadeiros amigos e familiares para mim, então há um pouco de tristeza nisso. Mas, realmente, é apenas um sentimento tipo, 'Oh, merda, nós fizemos o que queríamos fazer e esperávamos que isso se conectasse desta forma e daquela forma e desta forma. Sim. Então, estou meio que andando por aí sentindo um brilho caloroso por dentro, porque fico tipo, 'Ah, isso existe e continua existindo ”. Tenho brincado com meus amigos. Eu fico tipo, 'Todo mundo transmite tudo, de qualquer maneira', e em algum momento, alguém na HBO GO ou qualquer coisa vai clicar na minha cara boba, não tem ideia do que é, e eles vão ter 24 episódios para assistir, como eles querem assistir.

Imagem via HBO

Então, da mesma forma que as pessoas vêm até mim e falam sobre o meu talk show como se estivesse acontecendo - não é que eles pensem que ainda estamos filmando, mas porque eles acabaram de descobrir, está acontecendo agora para eles. Estou ansioso para um futuro onde o show possa viver nesse sentido. Não é como nos velhos tempos, em que o show acabou e não podemos continuar a aproveitá-lo. Ele permanece ativo e estou ansioso para que novas pessoas o encontrem nos próximos anos.

Sim, meu colega e sua esposa começaram o programa há algumas semanas e estão gostando muito. Então você vai ter novos fãs chegando.

HOLMES: Não é divertido? Muita gente espera, espera um show passar três temporadas antes de começar a assisti-lo, porque não quer se investir em algo que simplesmente vai acabar. Eu entendi aquilo. É como, quando você assiste Banda de irmãos ou algo assim, há um novo personagem, e você não se preocupa em saber o nome dele até eles estarem em três episódios, porque você conhece a natureza da série. As pessoas estão sempre morrendo no show. Eu me sinto assim em relação à TV às vezes. Você fica tipo, 'Vamos esperar que isso se acumule, e então eu vou assistir.' Eu não ficaria surpreso se as pessoas lessem essa entrevista e dissessem 'Ok' e vissem o piloto, que filmei há quatro anos. É uma experiência de faculdade inteira atrás! Para aquelas pessoas, estará lá hoje, será o que assistirão esta noite, e isso me deixa feliz.

Uma última pergunta. Presumo que muitas pessoas estarão se perguntando sobre Pete e Ali no final. Essa tem sido uma relação central realmente ótima com a série. Há algo que você gostaria de falar sobre o futuro deles? Ou por que você meio que decidiu encerrar com aquela nota, com aquela bela foto deles se beijando e andando pela rua?

HOLMES: Você sabe, eu passei muito tempo pensando em Pete e Ali, e se eles seriam românticos, ou se seriam amigos. Essa é uma das coisas que eu nem penso, neste momento, sou a autoridade nisso. Porque é aqui que o show está terminando. Termina daquela forma ativa onde agora, cabe a você imaginar o que pode acontecer. Eu sei que eles estão meio que conectados, que eles têm uma conexão de coração profunda, que eles estão juntos, que eles representam algo que a outra pessoa pode não ter. Tipo, Ali tem muito mais integridade. Ela tem um sentimento muito mais artístico sobre o standup. Pete tem o que Pete tem, não sei como você chama, um entusiasmo do tipo Golden Retriever para fazer o que quer que seja? (risos)

Sim, parece certo.

HOLMES: Eu acho que eles precisam um do outro, e tudo que posso dizer é na minha imaginação, eles vão estar na vida um do outro, não importa o que aconteça. Se for romanticamente, profissionalmente ou como amigos, você não joga algo assim fora, mas me parece mais divertido ser tipo, 'Vamos deixar isso ambíguo e deixar as pessoas imaginarem como gostariam que acabasse . ' Porque, francamente, é assim que acaba. Como termina em sua imaginação é como termina. Essa é uma forma divertida de capacitar o espectador e dizer, 'Agora você tem. Nós tínhamos para isso, e agora é seu. '

Todas as três temporadas de Quebrando estão atualmente disponíveis na HBO Go, HBO Now e HBO On Demand.

Imagem via HBO