Criador de 'Final Space' na estreia da Epic Sci-Fi Comedy na HBO Max e na terceira temporada de 'Really Thrilling'

'Os artistas, a música, tudo está disparando em todos os cilindros. Acho que vai ser uma temporada muito, muito incrível. '

Nunca é divertido quando você descobre um grande programa que não está em um serviço de streaming comumente usado, um problema que felizmente não incomoda mais Espaço Final . A aventura de ficção científica lindamente animada e verdadeiramente hilariante estreou originalmente na TBS em 2018, mas agora os fãs originais do programa, bem como os novatos, podem não apenas assistir às duas primeiras temporadas na HBO Max, mas também desfrutar de novos episódios da terceira temporada, com estreia no sábado , 20 de março no Adult Swim.



Criado por Rogers , Espaço Final começa com a introdução de Gary (dublado por Rogers), cumprindo seus últimos dias de prisão espacial com relativamente bom humor. Mas seu retorno a uma vida livre é perturbado quando ele conhece Mooncake (também dublado por Rogers), um adorável alienígena verde e macio que acaba por ser uma criatura de importância intergaláctica. A partir daí, o mundo de Gary torna-se um caos que salva o universo, ao qual ele sobrevive por pouco com a ajuda de seus amigos e companheiros robôs. É um show que realmente merece a descrição de 'épico', ancorado por um elenco de voz de todas as estrelas, incluindo Fred Armisen , Tom Kenny , David Tennant , Tika Sumpter , Steven Yeun , Coty Galloway , Caleb McLaughlin , Ron Perlman , John DiMaggio , Gina Torres , Shannon Purser , Keith David , Andy Richter , Conan O'Brien , Ashly Burch , Claudia Black , Ron Funches , e Jane Lynch.



A terceira temporada, Rogers prometeu em uma entrevista individual com Collider, é 'realmente emocionante ... Eu acho que há alguns episódios que são tão grandes, que você fica tipo, Este é um recurso. O que estou assistindo? O que é? Esta não é a coisa de sitcom que eu pensei que estava assistindo. 'Rogers também explicou como a pandemia afetou sua capacidade de trazer atores convidados, porque ele agora dirige as contas de mídia social do programa e suas esperanças de mais temporadas após a terceira temporada.

COLLIDER: Excelente. Então, parece que muita coisa aconteceu desde o lançamento do programa e eu acho, no geral, como estão as coisas hoje em dia?



OLAN ROGERS: Sim. Quer dizer, as coisas estão indo muito bem. Quer dizer, acho que no que diz respeito às coisas da vida, está indo muito bem. Quer dizer, acho que o ano passado foi difícil para todos. É como se não houvesse maneira de contornar isso. Quer dizer, eu tinha uma loja de refrigerantes que basicamente foi destruída por um tornado em Nashville, então esse é um dos desenvolvimentos mais recentes. E então, obviamente, a pandemia nos atingiu bem no ponto onde começamos [as gravações] da terceira temporada. Então, fizemos todo o show em casa, sem realmente saber se poderíamos fazê-lo. Acho que provamos que você pode fazer um programa de TV em casa. Mas sim, fora isso, acho que é bom. É o melhor que você pode chegar, onde estamos agora.

Absolutamente. Quer dizer, eu me lembro dos primeiros dias da pandemia, parecia que, ah, a animação vai ser algo que ainda pode ser produzido com segurança. Mas essa é uma observação que você pode fazer dos assentos baratos, sem realmente entender o quanto o tempo físico um a um ajuda a fazer algo.

ROGERS: Sim, isso foi algo que notamos. Não foi de imediato, mas todo mundo, em algum momento, simplesmente passou por isso: O que estamos fazendo? Estamos fazendo um show agora? Não parece que devíamos fazer um show agora.



Muitas pessoas, especialmente os storyboarders, costumavam trabalhar ao lado de alguém e espiar e olhar para sua arte, e agora eles realmente não tinham isso. Então, havia muitos artistas que precisariam apenas de alguém para ficar na ligação com eles, apenas para conversar, enquanto eles estavam embarcando - porque eles estavam tão acostumados com aquele envolvimento físico. E foi difícil. Muitas pessoas passaram por momentos difíceis. Quer dizer, temos que fazer um programa de TV e isso é sempre incrível, fazer o que você realmente ama fazer e continuar trabalhando - eu conheço muitas pessoas que estavam desempregadas. Foi um momento estranho para fazer TV, direi isso 100 por cento.

Claro. Então, o programa teve origem técnica na TBS, mas também é um programa do Adult Swim, e agora é um programa da HBO Max. Como tem sido do seu lado apenas rastrear todos esses elementos diferentes?

ROGERS: Quero dizer, é interessante porque, obviamente, somos um programa de propriedade do TBS e ainda somos, mas estréia no Adult Swim e estamos no HBO Max, finalmente, mas não estamos sob a guia Adult Swim da HBO Máx. E também transmitimos internacionalmente na Netflix ...

Eu assumi a mídia social para todas as contas, então, por cerca de dois anos, tenho administrado essa coisa e é uma loucura ver quantas pessoas assistem em diferentes plataformas e não tenho as informações para dar a elas quando está acontecendo no Netflix, quando está acontecendo aqui e aqui e aqui e aqui. E é legal que esteja em tantos lugares, que tantas pessoas possam assistir de tantas maneiras diferentes. Eu acho que é uma das coisas legais sobre Espaço Final , é que ele funciona em muitos lugares diferentes. Muitos programas realmente não têm essa capacidade, então essa é uma parte legal sobre isso, mas também é confuso porque muitas pessoas realmente não sabem onde assistir.

Por muito tempo, por três anos, não estávamos realmente em um streamer dos Estados Unidos. Agora acabamos de entrar oficialmente na HBO Max, mas sim, é um pouco confuso. A mensagem fica um pouco confusa quando você fica tipo, ei, está estreando no Adult Swim, mas você olha os comentários e a maioria deles fica tipo, quando chegará ao Netflix? E é tipo, não é realmente ... Vai chegar lá, mas não é um programa da Netflix. Mas é um original da Netflix, por que você escolheu o Adult Swim? Bem, tecnicamente, é um programa da TBS que estreia no Adult Swim. Muitas dessas mensagens ficam confusas, indo e voltando.

Imagem via TBS

Então você administra a mídia social, algo que não acho que muitos outros criadores façam. Por que você assumiu?

ROGERS: Houve um ponto em que, na 2ª temporada, a bola foi entregue para o Adult Swim no último minuto. E foi algo que se eu não fizesse, ninguém eu acho que faria, porque eu não acho que haveria dinheiro suficiente para alguém administrar as redes sociais. E então eu estava tipo, tudo bem. Eu farei isso, porque amo o programa e quero que o trabalho das pessoas seja visto, e quero que as pessoas assistam. E então eu percebi, oh cara, esta é uma oportunidade realmente boa apenas para realmente se conectar com as pessoas que assistem ao show, mas também tentar fazê-lo crescer.

Nos últimos dois anos, eu consegui dobrar o número de seguidores onde estava, no final da 2ª temporada, e por isso tem sido legal realmente me conectar com [os fãs] e realmente ver esse envolvimento, mas também conversar com eles só para ver quem está assistindo ao show. Tem sido uma ótima experiência de aprendizado, mas também uma ótima experiência em geral.

Acho que essa é a grande vantagem de administrar a mídia social, é que, se você não tem uma conta de mídia social realmente ativa, parece que a série está morta. E é tipo, não, não é. Estamos em produção. Então é isso que venho fazendo, é apenas tentar criar uma experiência e mostrar às pessoas o processo de como é fazer um programa de TV. Mostrando um pouco de arte, provocando-os e mantendo esse engajamento crescendo e crescendo e crescendo. Vai ser interessante ver se faz algo diferente, mas quero dizer, se eu não fizesse, acho que ninguém mais faria, neste momento.

Acho que às vezes é assim que funciona. Acontece, mas também não é culpa de ninguém. É como se você fosse filho de vários pais, às vezes um deles acha que o outro está cuidando do problema.

ROGERS: Sim. Sim. E esse é o ponto principal, é difícil saber quem está pagando pelo quê. Mas essencialmente, o Adult Swim dirige o marketing do nosso programa, mas ele ainda é propriedade da TBS, mas acho que eles pagam. É tão confuso e estou tão confuso com todo o processo de tudo isso. Estou assumindo que não é assim para todos os programas, mas para o meu, é navegar nisso.

Mas também, há algo legal que sai disso, onde a mensagem é muito clara nas redes sociais. Outros criadores não chegam ao mercado de seu próprio programa, então o marketing fica um pouco confuso em como eles querem apresentar esse programa. Comigo é tipo, não. É o que é. Isso vem direto da boca do cavalo, o que é. Então isso é legal, mas é definitivamente um sintoma de ser uma criança indo para tantas casas diferentes agora.

Direito. O que é interessante é que, ao pensar sobre o show, por um lado, parece um show muito simples de descrever - e por outro lado, parece incrivelmente complicado. Então eu sinto que ter você tão pessoalmente envolvido com o marketing faz sentido, só porque se alguém sabe o que é o programa, é você.

ROGERS: Sim. 100 por cento. Eu acho que essa foi uma das coisas que eu estava conversando com muitas pessoas no exterior. E eles disseram, a primeira imagem que eles veem, eles sentem que é uma sitcom, uma sitcom de ficção científica. E eu digo sim, não, não é. Não é nada disso. É um show de ficção científica interestelar, galáctico e animado muito épico. Então eu acho que é bom divulgar essa mensagem, e acho que mais pessoas vieram ao show por causa disso.

Então, um dos motivos pelos quais estou animado com o programa estar na HBO Max é que, como a HBO Max não tem opção de desabilitar a reprodução automática, é muito fácil continuar rolando de episódio em episódio, e realmente funciona assim tão grande, longo história épica como resultado.

ROGERS: Sim, com certeza, e está indo muito bem na HBO Max. No momento, é o programa de tendências de animação mais popular nessa plataforma, então está indo bem. Porque ele realmente nunca esteve em um serviço de streaming, então agora eles estão começando a se divertir e estão percebendo, oh, este é realmente um show ingerível. E sim, acho legal ver as pessoas tweetando: 'Acabei de comer metade do dia assistindo Espaço Final e é ótimo. '

É assim que foi planejado para ser observado, foi para assistir nesta sessão, realmente digeri-lo e depois continuar o seu dia. Mas eu acho que com a forma como ele estreia no Adult Swim, é uma coisa serializada e você está obtendo peça por peça, por peça. É empolgante, mas quando você assiste a coisa inteira de uma vez, você fica tipo, oh, é tão bom. É um pouco diferente.

o filme era tão bom quanto o livro

Imagem via TBS

Então, entrando na terceira temporada, como você se sente sobre o equilíbrio que encontrou? Você sente que realmente descobriu como ter certeza de que tem comédia, personagem e uma quantidade significativa de enredo?

ROGERS: Sim. Acho que encontramos um equilíbrio muito, muito bom na terceira temporada. Acho que é provavelmente o melhor que já aconteceu. Quero dizer, isso foi depois de duas temporadas tentando encontrar o equilíbrio perfeito. Eu pensei que tínhamos isso na 1ª temporada e meio que fizemos na 2ª temporada, fomos um pouco difíceis demais na comédia, eu acho, e um pouco difíceis demais no drama. gosto muito de ambos em momentos específicos. A 3ª temporada é mais confiante no que está tentando ser - acho que encontrou o seu fundamento de uma maneira muito boa, mas também joga e você está pronto para a aventura. Você nunca está pensando, oh, isso foi uma piada. Você fica tipo, oh, isso foi muito engraçado. Eu conheço esses personagens agora.

Maravilhoso. Então você está na 3ª temporada agora - existe um plano de seis anos? Existe um plano de 10 anos? Porque atualmente estamos vendo muitos programas de repente anunciando, oh, é a nossa terceira e última, ou quarta e última temporada.

ROGERS: Sim. Quer dizer, isso poderia ser o Espaço Final slogan no final do dia. Quem sabe? Quero dizer, é um mistério agora com a indústria do entretenimento. Mas também há um plano que eu adoraria fazer de cinco a seis temporadas, como a maioria dos criadores faria - eles têm um final que têm em mente. Neste ponto, eu realmente não sei qual é esse futuro, mas se vamos ser essa manchete, então acho que seremos, mas lutamos nessa batalha valente por tanto tempo quanto humanamente possível. Quero dizer, espero que eles descubram e queiram fazer outra temporada. E parece que o TBS sempre foi um grande apoiador do programa e funciona em muitos lugares diferentes, então talvez eles descubram. Eu adoraria fazer outra temporada, se não duas ou três, mas acho que é com eles.

Enquanto isso, ao assistir novamente ao show, estou extremamente impressionado não apenas com a quantidade de trabalho de voz que você faz, mas também com o número de personagens diferentes que você está interpretando. Também estou muito preocupado com suas cordas vocais.

ROGERS: Oh sim.

Com que frequência você sopra sua voz enquanto trabalha no programa?

ROGERS: É uma loucura. Nesta temporada eu adicionei outro personagem, Biscuit - não por escolha própria - e basicamente, ele é o personagem mais difícil para mim fazer. Eu não estourou minhas cordas vocais ainda, mas elas estão começando a doer depois dos discos. Eu simplesmente comecei a separar esses personagens, em vários registros agora.

Mooncake é relativamente simples?

ROGERS: O mais fácil. Mooncake é uma alegria, uma alegria absoluta. O mais fácil para eu expressar. Gary também é muito fácil. E Tribore é um pouco difícil de fazer, mas Biscuit ... aquele pequeno tigre simplesmente me mata. Isso me mata.

O que entra no processo de tomada de decisão de quais personagens você expressa?

ROGERS: Geralmente é David Sacks. Geralmente surge com um personagem e eu simplesmente vou gozar e dizer, 'E se ele soasse assim?' Eu me lembro de Tribore, eu estava brincando. Era a primeira temporada e ele estava tipo, 'Oh, isso é tão engraçado. Você tem que dar voz a esse cara. ' Eu fico tipo, 'Eu não. David, não quero dar voz a esse cara. E chegamos à mesa de leitura e eu fiz a voz porque ainda não tínhamos nenhum outro ator. E ele disse, 'Sim, você está expressando isso. Recebeu risos. Você está dando voz a Tribore. E eu fico tipo, cara. E então eu lembro que lançamos a terceira temporada, antes da pandemia, e estávamos tomando café da manhã com executivos e eu fiz a voz para Biscuit e todos eles riram. E [Sacks] estava tipo, 'Você tem que dar voz a ele'. Eu fico tipo, 'Podemos fazer os atores dublarem. Podemos fazer de forma semelhante. ' É como, 'não, você precisa. Isso gerou uma risada. Isso gerou uma risada. Você está fazendo isso. ' Eu estou tipo, oh cara. Então, normalmente é David Sacks, honestamente.

Em geral, o processo de trazer o talento vocal mudou desde o início? Quero dizer, porque você começou com uma lista bastante impressionante, mas adicionando pessoas como Jane Lynch na 2ª temporada, isso parece um grande passo.

ROGERS: Sim. Acho que foi interessante porque na 3ª temporada, a pandemia aconteceu, e tínhamos pessoas que realmente queríamos entrar em contato como convidados e todo mundo foi fechado e tivemos que continuar. Então, basicamente usamos muito do nosso talento interno, como Tom Kenny, para dar voz a muitos dos nossos convidados. Na segunda temporada, adicionamos um monte de novos personagens e eu gostaria que pudéssemos ter feito isso na terceira temporada. Isso teria sido incrível.

Em geral, o que você pode sugerir sobre a terceira temporada?

ROGERS: Eu acho que é uma temporada realmente emocionante. E eu acho que há alguns episódios que são tão grandes, que você fica tipo, Este é um recurso. O que estou assistindo? O que é? Esta não é a coisa de sitcom que eu pensei que estava assistindo. E então há muitos episódios que vão realmente pequenos e que são tão emocionalmente cru ... Seu coração vai ser arrancado do seu peito porque é tão triste, porque colocamos toda essa frustração e outras coisas da pandemia no show, e você pode ver que todo mundo tocou mais e mais e mais. Os artistas, a música, tudo está disparando em todos os cilindros. Então eu acho que vai ser uma temporada muito, muito incrível.

Sim - estou feliz que você mencionou a música, porque eu acho que é um elemento realmente definidor do show.

ROGERS: Sim. E nesta temporada é Jake Sidwell e Andrew Goodwin. Temos dois compositores convidados, que são Casey Edwards e DoTi, que é um artista do Reino Unido. A música nesta temporada é absolutamente estelar. É tão bom. É irreal como isso é bom.

Imagem via WarnerMedia

Nunca ouvi falar de um show com um compositor convidado.

ROGERS: Acho que posso ser a primeira pessoa a tentar fazer algo assim. Não sei. Mas, quero dizer, o que percebi é que, se você der a esses compositores tempo suficiente para realmente se concentrar nas coisas pelas quais eles são realmente apaixonados, fica melhor. Porque muitas vezes, os compositores estão tentando queimar para cumprir o prazo. E eu penso, se eles tivessem mais ajuda, do que a música só vai ficar melhor.

Você está trazendo pessoas específicas para episódios específicos, pensando que elas têm o conjunto de habilidades certo para qualquer que seja a história em particular?

ROGERS: Sim. Bem, Jake realmente marcou a prova de conceito no meu canal do YouTube há muito tempo, então eu o conhecia. E então Andrew era um compositor que eu tinha usado para muitas das minhas coisas anteriores também. Então eu pensei, vamos apenas juntar vocês dois. Mas sim, quero dizer, eles definitivamente ... Eu sabia que eles tinham as habilidades para fazer isso, só porque Jake pode achar esses momentos emocionais muito bem, e Andrew é muito bom nas coisas de ação. Então, é só encontrar duas pessoas que são realmente boas em certas coisas e, em seguida, colocá-las juntas e você terá uma imagem realmente completa.

Para encerrar, quando se trata de atingir as grandes batidas emocionais, tanto para você como a pessoa que está fazendo isso e também como dublador, o que tem sido fundamental em tentar encontrar o tom certo?

ROGERS: Sim. Quer dizer, essa é provavelmente a coisa mais difícil, porque o elemento de dublagem é o que ainda estou trabalhando para tentar melhorar e ficar melhor. E a mesma coisa com a escrita. A jornada para mim, a cada passo do caminho, é como posso tornar isso melhor? Como faço para melhorar isso? Como posso agir melhor? Como eu faço isso? E eu acho que com esta temporada, eu realmente estou encontrando a confiança para dizer, ei, não temos que colocar uma piada aqui. Não precisa estar aqui. Você pode iluminar o clima de certas maneiras, mas não quer acabar com o drama disso. Portanto, tem sido muito bom tentar descobrir como manter isso intacto e não tentar tirar uma nota de uma rede que quer uma piada, basicamente para liberar quase o vapor. É como se você só quisesse continuar. Acho que encontramos um equilíbrio muito, muito bom nesta temporada.

Excelente. Sim. Quer dizer, sempre sou um grande fã de um programa de ficção científica que secretamente, o tempo todo, é uma história de amor. E então eu realmente comecei a investir no relacionamento de Quinn e Gary, mesmo que ele tenha tido reviravoltas estranhas e selvagens.

ROGERS: Sim. E, honestamente, essa é uma grande parte desta temporada. Nós realmente não conseguimos fazer da maneira que queríamos na 1ª temporada, porque foi jogado como um filme. Foi muito rápido, não havia muito tempo para sentar e fazer o que quer que fosse. Tivemos 10 episódios, foi uma temporada menor. E então a segunda temporada, tivemos a ideia de trazer Nightfall e todas essas coisas. E eles queriam, basicamente, uma história mais episódica. Portanto, não podíamos realmente dizer muito das coisas serializadas que queríamos contar. E então a terceira temporada, voltamos a ser aquela série em série, mas com mais episódios. E então temos essa capacidade de realmente mergulhar no relacionamento e realmente, isso funciona tão bem. É simplesmente agradável. Cada vez que você os vê lidando com o relacionamento, você fica tipo, bem, sim, finalmente. Ao longo de toda a temporada, você obtém mais e mais e mais e é muito bom.

Espaço Final As temporadas 1 e 2 estão sendo transmitidas agora na HBO Max. A 3ª temporada estreia no sábado, 20 de março às 22h30. ET em Adult Swim.